Notícias

05 JUL 2017 Gerais-

O bruxismo afeta milhares de portugueses e provoca inúmeros problemas

O bruxismo afeta milhares de portugueses e provoca inúmeros problemas

O bruxismo pode ser noturno, mas também diurno, sendo caracterizado pela atividade semi-voluntária da mandíbula, estando relacionado a hábitos repetitivos, como roer as unhas, o lápis, mascar pastilha elástica ou ranger os dentes.

Sendo um hábito inconsciente é, normalmente, diagnosticado tardiamente. "As dores de cabeça são o sintoma mais comum, dada a força que o indivíduo faz durante a noite. Desconforto na articulação temporomandibular, dores nos músculos mastigadores e da face, rigidez da região cervical, limitação dos movimentos de abertura da boca e perturbações do sono são outros sintomas", explica o Professor João Caramês.

Acrescenta ainda que "O ranger consecutivo dos dentes provoca inúmeros problemas, como desgaste do esmalte, que afeta a integridade dos dentes, causando dor e problemas nos maxilares e na articulação temporomandibular".

As causas dos episódios de bruxismo diurno não são consensuais, mas consideram-se o stress e a ansiedade os principais fatores de risco. Estes estão também associados ao bruxismo noturno, assim como distúrbios do sono – ressonar, episódios de apneia, falar durante o sono ou alucinações. O tabaco, o consumo de cafeína, o consumo de álcool e a medicação para o sono, depressão e ansiedade podem ter, igualmente, influência.

O bruxismo afeta tanto crianças como adultos. No caso das crianças, estes episódios prendem-se, sobretudo, com a normal esfoliação dos dentes e com o seu posicionamento nos maxilares. Casos mais graves podem estar relacionados com situações de ansiedade. É comum o bruxismo ocorrer associado também à obstrução nasal e queixas respiratórias resultantes de hipertrofia das amígdalas e adenóides.

Com o avançar da idade, o bruxismo costuma tornar-se menos regular e até desaparecer. No caso dos adultos, o bruxismo deve ser encarado como uma patologia e ser corrigido o mais cedo possível, evitando ao máximo as suas consequências.

Qual o tratamento?

O tratamento do bruxismo é realizado de acordo com a especificidade do caso e só depois da identificação das causas. Os aparelhos de proteção - placas de acrílico personalizadas - para uso noturno permitem evitar o desgaste do esmalte.

"É igualmente importante a educação dos músculos da mastigação, para que não exerçam estes movimentos não funcionais, evitar a ingestão de cafeína e álcool que, por norma, exaltam as personalidades mais ansiosas. A prática desportiva, a correção da postura, terapias de relaxamento e bons hábitos de vida são outras formas complementares de tratamento. Nos casos em que os dentes estão já demasiado desgastados é necessário reabilitá-los, recorrendo a coroas fixas ou a restaurações diretas para restabelecer o equilíbrio, a função e estética", frisa o Professor João Caramês.

© 2017 Instituto de Implantologia. Todos os direitos reservados.
Scroll para
ver mais