Serviços e especialidades

Consulta de Saúde Oral Materno-Infantil

De forma a poder manter uma boa saúde oral durante a gravidez, o Instituto de Implantologia desenvolveu um programa de Prevenção da Saúde Oral na Grávida, de acordo com as diretrizes do Programa Nacional de Promoção da Saúde Oral.

Durante a gravidez, a mulher sofre grandes alterações hormonais com efeitos na cavidade oral. As gengivas podem sangrar facilmente e pequenas cáries podem evoluir devido ao maior número de refeições e à acidez da saliva (vómitos).

O primeiro passo para garantir uma boa saúde oral durante a gravidez passa por realizar um “check-up” antes de engravidar e efetuar todos os tratamentos dentários que sejam necessários. Estão ainda indicadas consultas de Higiene Oral de 3 em 3 meses.

Quando surge algum tipo de patologia oral, cáries, abcessos dentários, gengivite (hemorragia das gengivas) e/ou periodontite, a grávida deve ser avaliada por um dentista de forma a decidir qual o tratamento indicado, de acordo com a fase da gravidez.

A consulta de Consulta de Saúde Oral Materno-Infantil tem também como objetivo informar a grávida sobre os cuidados que deve ter com a higiene oral, alimentação e futuros hábitos do recém-nascido.

Perguntas frequentes

Deve-se tomar flúor durante a gravidez?

Atualmente o uso de flúor em comprimidos não está recomendado nas grávidas. Estudos científicos mostram que o flúor que passa da mãe para o bebé é mínimo e não tem influência na dentição da criança.

A mãe deve usar uma pasta fluoretada. Em caso de elevado indíce de cáries, pode ainda usar um elixir com flúor.

A gravidez estraga os dentes da mãe?

Não, a gravidez não estraga os dentes. É um mito pensar que os bebés “roubam” o cálcio às mães.

Durante a gravidez ocorrem alterações nos hábitos alimentares da grávida, que podem aumentar o seu risco de desenvolvimento de cáries. São exemplo disso refeições com maior regularidade e a presença de saliva mais ácida pelas náuseas e vómitos.

É normal sangrar das gengivas durante a gravidez?

É frequente que durante a gravidez as gengivas sangrem com maior facilidade, devido a alterações hormonais que ocorrem durante esta fase.

Deve ser feita a remoção de tártaro e placa bacteriana em consultório dentário e fazer uma boa higiene oral.

Uma mulher grávida também pode ir ao dentista?

Os tratamentos dentários devem ser adiados numa mulher grávida, sobretudo no primeiro e terceiro trimestres de gravidez, salvo se se tratar de uma situação de urgência. Tal situação justifica-se não apenas devido ao feto, mas também pelo desconforto causado à mãe pela posição durante a consulta.

No caso de ser necessário uma intervenção do dentista em qualquer altura da gravidez, há procedimentos e medicamentos que se encontram devidamente comprovados pela evidência científica como sendo seguros.

Existem inclusivamente determinados tipos de anestesia que são seguras quer para a mãe, quer para o feto, e que podem ser utilizadas sem risco para ambos.

Uma mãe pode transmitir uma cárie ao seu filho?

Sim, pode. Não só a mãe como outras pessoas que cuidam do bebé nos primeiros anos de vida, como os avós, amas, entre outros. Isto porque alguns comportamentos, como provar ou soprar a comida com a colher do bebé ou colocar a chupeta na boca da mãe para a limpar, podem transmitir bactérias para a boca do bebé.

© 2017 Instituto de Implantologia. Todos os direitos reservados.
Scroll para
ver mais